Notícias

Coluna do Novidade

22/05/2017

DE OLHO NAS PRIMEIRAS ETAPAS
 

          Vamos às informações categoria por categoria, começando pela categoria fixa de entrada no campeonato, a Semi Pro. Uma das categorias com as melhores e por vezes mais turbulentas disputas de toda a F46.

 

    SEMI-PRO


    O piloto Mário César depois de um primeiro e um segundo lugares nas etapas iniciais firma seu nome como franco favorito ao campeonato semestral, e arriscaria prever, ao campeonato anual. Thiago Lugão, estreante na categoria fixa, fez jus à experiência adquirida na Open e cravou sua primeira vitória na segunda etapa. Garantiu o segundo lugar no campeonato, mas ainda torcendo para seu sexto lugar na primeira etapa tornar-se apenas seu descarte (o pior resultado de cada semestre é descartado).

 

    Manoel Vieira, um dos pilotos mais experientes de todas as categorias, dono de cabelos brancos como os de Michel (Temer), finalmente conseguiu sua primeira medalha. Um belo e consistente terceiro lugar na primeira etapa. Na segunda etapa o oitavo lugar acabou por jogar um balde de água fria em sua euforia. Ainda assim, Manoel segue em terceiro no campeonato de pilotos e cheio de esperanças.

 

    Em terceiro na segunda etapa mais um debut no pódio. Paulo Pinto não deixou o… , digo, a peteca cair e fisgou sua primeira medalha. Nando Bonfá foi o quarto, seguido por Thiago Guimarães. Pedro Ivo e Paulo Torres foram ausências sentidas na etapa. Tudo indica mais um ano agitado na categoria e muita briga pelo acesso.


    PRO

 

          A Pro é a segunda categoria fixa e nela temos outro grande favorito já surgindo: Márcio Arcoverde com um segundo e um primeiro lugar é o líder desse início de campeonato. Já dispara na frente com 27 pontos, abrindo seis pontos do segundo colocado no campeonato, Thomas Edson, que depois de uma boa vitória na primeira corrida conseguiu apenas um sétimo lugar na segunda etapa.

 

    Hugo Martins com consistentes quarto e segundo lugar nas primeiras corridas aparece em terceiro com 19 pontos. Apenas sete pontos separam o terceiro do sétimo colocado, no que promete ser um disputado campeonato pelo pódio semestral, anual e pelo acesso à Super-Pro. Anderson Rodrigues, Sérgio Odilon, e os recém ascendidos Daniel de Castro e Rodrigo Cunha estão nesse bolo. Imprevisível o que vai acontecer nessa meiuca.

 

          A grande surpresa na segunda etapa ficou por conta da saída do piloto Fábio Vasquez, que subiu para a categoria Super Pro. E da estreia, depois de um ano sem mulheres nos grids, de Meri Monteiro na vaga deixada por Vasquez. Meri terminou em oitavo sua primeira participação, mas promete brigar pelas posições de cima no campeonato.


    SUPER-PRO

 

          Na Super o campeonato de pilotos está embolado desde a primeira colocação. Com um primeiro lugar, muita confiança e um frustrante oitavo na segunda etapa, Gustavo Tasmo lidera o campeonato com 20 pontos. Cleveland em segundo vem mostrando bom ritmo conseguindo dois pódios seguidos, terceiro e segundo lugares, respectivamente, nas etapas.

 

    Estreando também nesta segunda prova, Pedro Plá, piloto revelação, não deixa dúvidas que chega para disputar o campeonato. Primeiro lugar na sua primeira corrida. Rafael Franco que foi bem na primeira etapa com um segundo lugar não repetiu o desempenho e ficou apenas em décimo segundo na segunda etapa.

 

    Bernardo Ribeiro, que ficou em nono na primeira prova em Vota Redonda, conseguiu garantir um pódio terminando em terceiro na segunda etapa em Guapimirim. Tapajós e Marino fecham o grupo dos que já somam mais de dez pontos. O recém chegado da Pro, Fábio Vasquez (Berg subiu para a Ace, logo veremos), ficou com um quarto lugar na sua estreia e já se coloca como um dos candidatos a ascensão no fim do ano no que seria uma subida relâmpago rumo à elite da F46.

 

          Tudo embolado na Super, menos pro Felipe Marcel, que consegue estar isolado na lanterna do campeonato com duas apresentações bastante decepcionantes. O que será que abala o já experiente piloto…?


    ACE

 

          E finalmente a Ace. Com uma vitória e um segundo lugar, Chico Lopes sai na frente. Gustavo Taveira com um segundo e um terceiro vem logo em seguida, sendo eles os únicos pilotos presentes nos dois primeiros pódios do ano.

 

    Matheus Teixeira, mesmo decepcionado com o seu desempenho, vem em terceiro na pontuação com dois quartos lugares seguidos. Beto Rodrigues que surpreendeu na estreia dessa vez acabou apenas em sexto, enquanto Raphael Bastos que amargou um décimo primeiro lugar na primeira corrida, conseguiu superar seus companheiros e selou sua primeira vitória no ano em Guapimirim.

 

          Vargas segue no meio da tabela com um sexto e um quinto lugares com Jesuan muito próximo dele com um quinto e um sétimo lugares. Na parte de baixo da tabela Eduardo Carreiro, Felipe Siqueira e Antonio Pimentel fecham a lista com um péssimo início de ano.

 

          Na segunda etapa, a de Guapimirim, a volta mais rápida foi de Márcio Arcoverde, piloto da Pro com 51.400s, deixando os confiantes pilotos da Ace desconcertados.

 

          Dia 28 de maio acontece a terceira etapa. É a hora de vermos quem tem algo a almejar no primeiro semestre e quem ainda vai ter que remar muito pra conseguir sonhar com o acesso.

 

          Nos vemos em Guaratinguetá!

$equipe->getNome()} $equipe->getNome()} $equipe->getNome()} $equipe->getNome()} $equipe->getNome()} $equipe->getNome()} $equipe->getNome()} $equipe->getNome()}